• Gabi Bigarelli

Vinho velho é sinônimo de vinho bom?



Você já deve ter ouvido por aí que quanto mais velho for o vinho, melhor, não é?

O universo dos vinhos está repleto de concepções que muitas vezes são mais clichês do que necessariamente verdades absolutas.

E a premissa tão enraizada de que vinhos envelhecidos são melhores é um dos grandes exemplos.


Vinho: quanto mais velho melhor?

Respondendo à pergunta que muitos amantes dos vinhos se fazem: não, nem todos os vinhos envelhecidos são necessariamente melhores.

A verdade é, não são todos os vinhos que foram feitos para envelhecer e isso precisa ser considerado no momento que estamos degustando e avaliando um rótulo.

Existem diversos fatores para serem ponderados na hora de decidir se é adequado ou não envelhecer um vinho.

Nos dias de hoje, são poucos os que merecem, ou precisam, ser guardados e que vão aprimorar com o tempo em adega.

A grande maioria dos vinhos atuais são feitos para o consumo quase que imediato, em um estilo que não suporta anos de guarda.


Como deve ser o vinho para envelhecer?

Para envelhecer bem, o vinho precisa ter alguns requisitos básicos, como uma estrutura robusta, uma boa base de taninos, a acidez presente, o nível de álcool, ou açúcar residual.

O que determina a necessidade do envelhecimento da bebida pode ser uma combinação de alguns desses fatores, somado a uma base de uva de boa qualidade, sendo os taninos, a acidez e a fruta os pontos mais importantes.

Normalmente, os grandes vinhos que merecem ser guardados, têm uma boa estrutura de taninos, estrutura responsável por provocar a sensação de adstringência na boca.

O vinho precisa ter uma boa relação entre esses taninos e a acidez, já que não adianta a bebida ser extremamente tânica e não ter acidez. Sem o fator da acidez, o vinho perde seu frescor rapidamente.

Por fim, sem uma base rica de fruta - uva boa e madura, com o passar do tempo de armazenamento, o vinho ficaria completamente sem gosto.

Perceba que são inúmeros os fatores que devem ser pensados, antes de manter um vinho armazenado com o objetivo de aprimorar seu sabor.

Dependendo do tipo do vinho, a guarda significaria sua total ruína.


Quais vinhos merecem ser guardados (e que realmente vão melhorar com o tempo)?

Os vinhos que merecem ser guardados para o aprimoramento dos seus sabores são os oriundos das mais reconhecidas vinícolas, ditos Premium, ou topo de gama.

Muitos desses vinhos também podem ser consumidos imediatamente, mas geralmente ganham qualidades com o tempo.

Os grandes Cabernet Sauvignon de Bordeaux e os Pinot Noir da Borgonha podem ser guardados por anos a fio, assim como os Barolos, Brunellos e Barbarescos italianos.


Qual o gosto do vinho envelhecido?

Antes de tomar a decisão de envelhecer um vinho, é preciso conhecer seu próprio paladar.

Imagine só, guardar um vinho por anos e, quando resolver abrir, o sabor não te agrada? Tantos anos jogados fora por simplesmente não compreender qual seria o resultado daquele armazenamento.

Um vinho jovem geralmente tem fortes aromas, corpo, muito tanino, acidez e fruta. Com o tempo, a tendência é que ele fique mais delicado, com aromas mais sutis, taninos mais macios e um pouco menos de frescor do que quando jovem.


Acho que ficou bastante claro neste conteúdo as razões pelas quais a velha expressão de que “vinho bom é vinho velho" nem sempre é verdadeira.



Para quem gosta de um bom vinho e pretende mergulhar nos incríveis sabores desse universo, é sempre bom desvendar certos mitos.

Se você quer aprender ainda mais sobre vinhos e, tudo mais que envolve esta bebida tão singular, não deixe de acompanhar sempre meu blog.


Agora quero saber de você: já tomou algum vinho envelhecido? Conte aqui embaixo nos comentários, suas impressões.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo